Agora Esportes

As principais notícias do esporte

História do Atlético-MG

Na última temporada, o Atlético Mineiro conseguiu quebrar um jejum de cinco décadas e voltar a comemorar o título do Campeonato Brasileiro. Além disso, o Galo também conquistou a Copa do Brasil 2021.

Agora, a equipe mineira entra em 2022 visando alcançar o bicampeonato da Libertadores da América. No entanto, o Galo não terá mais o comando do treinador Cuca e corre para que o elenco possa se ajustar a nova comissão técnica. Mas, você conhece a história do atual campeão brasileiro?

Resumo da História

A história do Clube Atlético Mineiro começou em 25 de março de 1908. Nessa data, um grupo de alunos se encontrou no Parque Municipal, em Belo Horizonte, e criou aquele que se transformaria em um dos principais times do futebol nacional.

O Atlético ganhou o seu primeiro compromisso. No dia 21 de março do ano seguinte, a equipe encarou e superou o Sport Club Futebol, por 3 a 0, na casa do adversário. O primeiro gol do Galo foi marcado por Aníbal Machado, que viraria um grande nome da literatura brasileira.

O Atlético também se sagrou campeão da primeira competição promovida no Estado de Minas Gerais, disputado em 1914: a Taça Bueno Brandão. Em 1915, o clube venceu o primeiro torneio oficial de Minas Gerais, realizado pela Liga Mineira de Esportes Terrestres, atual Federação Mineira de Futebol (FMF).

Em 1929, o Galo protagonizou a primeira partida internacional de um clube de Minas, derrotando o campeão português, Victória de Setúbal, por 3 a 1. Os gols foram marcados por Mário de Castro (2) e Said. O jogo aconteceu no estádio Antônio Carlos, inaugurado em 30 de maio daquele ano.

Campeão dos Campeões

No começo de 1937, o Atlético ganhou o título de ‘Campeão dos Campeões do Brasil’, ao conquistar o primeiro torneio interestadual profissional do Brasil. A competição foi idealizada Federação Brasileira de Futebol (FBF) e contou com os campeões estaduais de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

A história do clube também contemplou uma vitória em cima da seleção. Em 3 de setembro de 1969, o Galo virou o único time do planeta a superar o Brasil que ganhou o tricampeonato mundial, no México. Jogando no estádio do Mineirão, o Atlético-MG superou a seleção brasileira por 2 a 1, gols de Amaury e Dadá Maravilha, com Pelé, anotando o gol da equipe canarinho.

Primeiro título brasileiro

Em 1971, o Atlético conquistou o primeiro título do Campeonato Brasileiro com triunfos em cima do São Paulo (1 x 0), no Mineirão, e Botafogo (1 x 0), no Maracanã, em um triangular final no Maracanã. O grande goleador do Brasileirão foi Dario, que balançou as redes 15 vezes. Ele também fez o gol do título sobre o Fogão. O Galo voltou a vencer o Brasileirão em 2021, no sistema de pontos corridos.

Libertadores 2013

Na temporada 2013, o treinador Cuca cravou seu nome na história atlética ao comandar a equipe que conquistou o título da Copa Libertadores. Ao longo da competição, o Galo superou o São Paulo três oportunidades e ainda passou também passou por equipes como Tijuana (MÉX), Newell’s Old Boys (ARG) e Olimpia (PAR).

Atlético-MG Campeão da Libertadores

Dentro de campo, o time foi comandado pela habilidade de Ronaldinho Gaúcho, a juventude de Luan e Bernard e as defesas memoráveis do goleiro Victor. Além disso, a equipe contou com atuações excepcionais de Pierre, Diego Tardelli, Jô, Réver, entre outros nomes.

Hinos do Clube

O Hino ao Clube Atlético Mineiro é cantado nos estádios de todo o Brasil desde a sua criação em 1967. O hino oficial teve a letra e a música feitas por Vicente Motta.

Hino oficial

“Nós somos do Clube Atlético Mineiro

Jogamos com muita raça e amor

Vibramos com alegria nas vitórias

Clube Atlético Mineiro Galo Forte Vingador.

 

Vencer, Vencer, Vencer

Este é o nosso ideal

Honramos o nome de Minas

No cenário esportivo mundial

 

Lutar, Lutar, Lutar

Pelos gramados do mundo pra vencer

Clube Atlético Mineiro

Uma vez até morrer

 

Nós somos Campeões do Gelo

O nosso time é imortal

Nós somos Campeões dos Campeões

Somos o orgulho do esporte nacional

 

Lutar, Lutar, Lutar

Com toda nossa raça pra vencer

Clube Atlético Mineiro

Uma vez até morrer”.

 

Primeiro Hino

O primeiro hino do Clube Atlético Mineiro representou o clube mineiro entre os anos de 1928 e 1967. A autoria é da música é de Augusto César Moreira e letra de Djalma Andrade.

“O Atlético em valentes combates

Sai dos campos coberto de glórias

E na luta, nos grandes embates

Que ele tem conquistado vitórias.

 

Alvinegro pendão de vitórias

A cidade te aplaude altaneira

Cada dia que passa mais glórias

Vem pousar sobre a nobre bandeira

 

Se a cidade o proclama altaneira

é que o povo lhe rende justiça

se entre palmas desfralda a bandeira

Entre louros a tira da liça

 

É o querido dos fados, da sorte

Não encontra nos campos rival

toda gente proclama o mais forte

o mais nobre, o mais bravo e leal”.

Ídolos

A história vitoriosa do Atlético-MG foi erguida a partir da contribuição e dedicação de grandes nomes do futebol nacional e internacional. Por isso, a torcida faz questão de lembrar desses craques até hoje.

‘Rei’ Reinaldo

José Reinaldo de Lima, mais conhecido como Reinaldo, é apontado como o principal ídolo da história do Atlético-MG. Formado na base do próprio Galo, o atacante foi um dos atletas brasileiros que mais se aproximaram da genialidade demonstrada por Pelé dentro de campo.

Ainda menino, ele chamou a atenção de representantes do Galo Mineiro. Aos 16 anos, o jovem já fazia parte do grupo profissional de jogadores. A primeira partida ocorreu dia 28 de Janeiro de 1973, em uma derrota contra o Valério, no Mineirão.

O primeiro gol saiu em um empate contra o Caldense, em 4 de fevereiro do mesmo ano. Ele acumulou títulos e conquistas individuais com a camisa do Galo, mas precisou encerrar a carreira prematuramente, aos 31 anos de idade.

Marques

O atacante Marques acumulou três passagens pelo clube e virou um dos ídolos da torcida. Em 1997, ele foi veio do São Paulo e conseguiu grande destaque até 2002. Rapidamente, o jogador conquistou o carinho dos torcedores com os seus dribles, agilidades e as assistências para os companheiros.

Ele conquistou inúmeros títulos e fez duplas de ataques fantásticas com os goleadores Valdir – em 1997 e 1998 – e Guilherme – entre 1999 e 2002. Em 2010, ele se aposentou com o gol do título do Campeonato Mineiro. Além disso, Marques é o atleta que mais defendeu o Galo no Brasileirão, 192 partidas.

Ronaldinho

Em junho de 2012, Ronaldinho foi anunciado como reforço do Atlético-MG. Em pouco tempo, ele se tornou titular absoluto do time, sendo determinante com passes magistrais e gols decisivos. Principal nome do Galo na Libertadores de Libertadores, ele usou a camisa 10 e chamou a responsabilidade no torneio continental.

Com o título continental, Ronaldinho virou o primeiro jogador de futebol da história a vencer a Copa do Mundo, a Liga dos Campeões, a Libertadores da América e o prêmio de melhor do mundo.

Victor

Após sucesso no Grêmio, Victor chegou ao Atlético-Mineiro e se tornou mais um dos ídolos da torcida. A ‘santidade’ veio com as atuações na Libertadores de 2013. Nas quartas de final, o goleiro garantiu a classificação ao defender uma penalidade com a perna esquerda e levar a equipe adiante.

A partir daquela defesa, estava imortalizado o São Victor. Uma defesa épica que colocou o Galo na semifinal do torneio continental após 25 anos. Na semifinal, a equipe conquistou a vaga na final em uma disputa nos pênaltis. E, novamente, o arqueiro brilhou ao defender mais uma. Na final, ele ainda recebeu o troféu de melhor jogador.

Posteriormente, ele foi decisivo para o título da Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil em 2014. Em quase uma década de Galo, ele ainda venceu os Mineiros de 2015, 2017 e 2020. Em 28 de fevereiro de 2021, Victor anunciou a aposentadoria dos gramados.

Patrimônio

Atualmente, o Atlético-MG está fortalecendo o seu patrimônio com a construção do seu próprio estádio Arena MRV, que deve ser finalizada até o segundo semestre deste ano, o Shopping DiamondMall e dois empreendimentos em construção. Outro destaque é a Cidade do Galo, ou seja, o centro de treinamento do time.

Escudos

O escudo do Galo é usado desde 1922, tendo passado por algumas modificações até o modelo atual. A estrela amarela corresponde ao primeiro título do Brasileiro em 1971. O escudo também ganhou estrelas vermelhas em duas oportunidades, na conquista do Torneio Campeão dos Campeões, em 1978, e da 1ª Copa Conmebol, em 1992. Todavia, essas estrelas vermelhadas foram tiradas do escudo oficial em 1999.

Mascotes

Nos anos 1930, um galo preto e branco era o grande destaques das rinhas da capital mineira, praticamente invencível. Todavia, o mascote apenas foi abraçado pela torcida em 1945, quando o chagista Fernando Pieruccetti, O “Mangabeira”, jornal “A Folha de Minas” desenhou o mascote do Galo.

Com a missão de desenhar um mascote que se relacionasse com as características do clube, ele fez os traços do ‘Galo Forte e Vingador’, que representava o domínio da equipe diante dos rivais e o vigor de seus atletas. “O Atlético sempre foi um time de raça. Mais parece um galo de briga, que nunca se entrega”, disse o chargista à época segundo o site oficial do Atlético-MG.

Mas, o grande responsável pela popularização do Galo foi o jogador, Zé do Monte, que vestiu a camisa do clube na década de 1950. Durante a sua passagem, Zé do Monte entrava em campo com um Galo. Com o pentacampeonato de 1951/52/53/54/55, o grito de “Galo!“ se imortalizou.

A primeira fantasia de mascote confeccionada pelo clube apareceu em 1976, quando o ‘primeiro Galo’, entrava com os atletas e as crianças em campo antes da bola rolar. Outros modelos de Galo também fizeram muito sucesso, como o Galo Volpi e o Galo Ziraldo.

Em 2005, o mascote ressurgiu com um novo visual, em formato de um super-herói, e recebeu o apelido de ‘Galo Doido’ da Massa Atleticana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *