Agora Esportes

As principais notícias do esporte

História do Cruzeiro Esporte Clube

Aqui contaremos a História do Cruzeiro, um dos principais clubes do futebol brasileiro, o Cruzeiro passa por um momento de baixa nas últimas temporadas com a queda e a continuidade na Série B do Brasileira. Agora, a equipe está vivendo uma transformação fora de campo visando ‘anos melhores’ econômica e esportivamente.

No entanto, o Cruzeiro surgiu de um esforço de esportas da comunidade italiana que residiam em Belo Horizonte (MG), com o nome de Societá Sportiva Palestra Itália, no dia 2 de janeiro de 1921. Com mais de um século de história, a Raposa se consolidou como uma das agremiações mais vitoriosas do pais.

Resumo da História do Cruzeiro Esporte Clube

O Cruzeiro Esporte Clube é uma organização brasileira polidesportiva, localizada em Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais. Fundada em 1921 com Società Sportiva Palestra Italia, foi renomeada para o nome atual em 1942 em uma referência ao Cruzeiro do Sul por determinação do governo federal na ocasião, que proibiu a utilização de qualquer símbolo vinculado a Alemanha, Japão e Itália, países inimigos do Brasil no momento da Segunda Guerra Mundial.

Hoje, a Raposa conta com uma das maiores torcidas do Brasil. O rival histórico é o Atlético-Mineiro, com quem disputa um dos clássicos mais famosos do futebol nacional. O América Mineiro também se apresenta como adversário estadual, mas em menor intensidade.

Fundação do Cruzeiro

A Raposa foi duas vezes vice-campeã da Copa Intercontinental de clubes e dois títulos da Libertadores da América. A lista de conquistas do Cruzeiro Esporte Clube segue com dois títulos dois da Supercopa da Libertadores, um da Recopa Sul-Americana, um da Copa de Ouro Nicolás Leoz e um da Copa Master da Supercopa.

Nacionalmente, a equipe mineira levantou quatro vezes a taça do Brasileirão e é o maior campeão da Copa do Brasil, vencendo a competição em seis oportunidades. Ao nível regional, o Cruzeiro é da Copa Sul-Minas e campeão da Copa Centro-Oeste. Em Minas Gerais, a Raposa venceu 54 edições do Campeonato Mineiro.

Palestra Cruzeiro

Rankings de futebol nacional e internacional

Além disso, o Cruzeiro foi o primeiro time de Minas a faturar a desejada ‘Tríplice Coroa’, após ter conquistado um Campeonato Estadual, uma Copa do Brasil e um Campeonato Brasileiro em 2003. Em 2009, a Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS) elaborou um ranking de times sul-americanos, com informações de 1901 até 2000.

Neste levantamento, a Raposa despontou como a melhor equipe brasileira no século 20. Em 2015, a Revista Placar anunciou uma lista com os campeões absolutos do país, liderado por Cruzeiro e Internacional. Ou seja, ambas as equipes detêm a maior quantidade de conquistas oficiais no cenário nacional.

Cruzeiro Bi Campeão da Libertadores

Na soma de conquistas oficiais no Brasil e no exterior dos clubes brasileiros (sem considerar títulos estaduais e regionais), em 2019, o Cruzeiro estava na segunda colocação, empatado com o Santos e Palmeiras. O São Paulo estava a um ponto.

O clube celeste está no terceiro lugar com a maior número de vitórias na Copa da Libertadores, com 95 triunfos. No Brasileirão, o Cruzeiro alcançou a melhor campanha em seis temporadas:  1966, 1974, 2000, 2003, 2013 e 2014, disputou 8 semifinais (1966, 1967, 1968, 1975, 1987, 1995, 1998 e 2000), 4 fases finais (1969, 1970, 1973 e 1974), 4 finais (1966, 1974, 1975 e 1998), com 5 vice-campeonatos (1969, 1974, 1975, 1998 e 2010) e 4 títulos de campeão (1966, 2003, 2013 e 2014).

Cruzeiro Campeão Brasileiro

Futebol feminino

Em 2019, o Cruzeiro anunciou a criação de uma equipe de futebol feminina em cumprimento a determinação da Conmebol e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) visando acelerar o desenvolvimento da modalidade em âmbito nacional e continental.

A regra estabelecia que as equipes criassem um setor de futebol feminina, ainda que em formato de parceira com outras organizações já existentes, para poderem participar de torneios masculinos internacionais, como a Libertadores e a Sul-Americana.

No primeiro ano de existência, as ‘Cabulosas’ chegaram a final do Brasileirão Feminino A2, conquistando o acesso para a primeira divisão. A equipe feminina também conquistou o título do Campeonato Feminino no mesmo ano, levantando a primeira taça na história da modalidade na sua primeira temporada. A equipe continua disputando as principais competições nacionais.

Outras modalidades

Em outras modalidades esportivas, o Cruzeiro também consegue bons destaques. No vôlei, a Raposa fechou uma cooperação com a Associação Social e Esportiva Sada para desenvolver um time masculino, o Sada Cruzeiro, uma das mais relevantes do país.

Cruzeiro Vôlei

O time faturou quatro Mundiais de Clubes de Voleibol, sete Sul-Americanos de Voleibol, seis Superligas Nacionais, seis Copas Brasil de Voleibol, três Supercopas Brasileiras de Voleibol e doze Campeonatos Mineiros.

No atletismo, a Raposa também conta com um time de respeito, contando com nomes importantes do cenário nacional e participante de eventos internacionais de prestigio.

Hinos do Clube

A Raposa conta um hino oficial, sendo que a composição foi feita por Jadir Ambrósio.

“Existe um grande clube na cidade

que mora dentro do meu coração

eu vivo cheio de vaidade

pois na realidade é um grande campeão

 

Nos gramados de Minas Gerais

temos páginas heróicas imortais

 

Cruzeiro, Cruzeiro querido

tão combatido, jamais vencido”

 Ídolos

Com cem anos de história, o Cruzeiro apresenta uma ampla lista de jogadores que marcaram época com a camisa celeste. Muitos craques foram essenciais para conquistas memoráveis e seguem reverenciados por toda a torcida celeste. Essa lista possui nomes como:

Ronaldo Fenômeno faz parte da história do Cruzeiro

  • Adilson Batista (1989 a 1993),
  • Alex (2001, 2002 a 2004),
  • Aristizábal (2003),
  • Bengala (1926 a 1939),
  • Boiadeiro (1991 a 1994),
  • Caieira (1932 a 1941),
  • Careca (1987 a 1993 e 1995),
  • Cris (1999, 2003 a 2004),
  • Dida (1994 a 1998),
  • Dirceu Lopes (1964 a 1977),
  • Douglas (1981, 1992 a 1994),
  • Geovani (1997, 2006 a 2007),
  • Geraldo II (1934 a 1955),
  • Gomes (2002 a 2004),
  • Gottardo (1997 a 1998),
  • Jairzinho (1976),
  • Luisão (2000 a 2003),
  • Nelinho (1973, 1981 e 1982),
  • Nonato (1990 a 1997),
  • Palhinha (1996 e 1997),
  • Ronaldo (1993 e 1994),
  • Sorín (2000, 2004 e 2009).
  • Tostão (1963 a 1972),
  • entre tantos outros nomes.

Goleiro Dida faz parte da história do Cruzeiro

Patrimônio

De acordo com o site oficial, o clube conta com a Sede Administrativa e WeWork, Centro de Formação Felício Brandi, Toca da Raposa II, Clube Cruzeiro Barro Preto e Clube Cruzeiro da Pampulha.

Inauguração da Toca da Raposa

Escudos

Com a intenção de aumentar as possibilidades de aplicação da marca para várias mídias e acompanhando as diretrizes definidas no estatuto vigente, a Raposa atualizou o seu estudo e elaborou um novo manual de identidade visual em janeiro de 2021.

As principais mudanças são a mudança do escudo oficial sem a coroa e a retomada da cor primaria para um azul mais escudo. Conforme o estatuto do time mineiro, , “A cor oficial do Cruzeiro Esporte Clube é azul correspondente ao Padrão Pantone 286 CVC” e “o escudo do Cruzeiro Esporte Clube será constituído da constelação do Cruzeiro do Sul, dentro de uma circunferência azul, com as estrelas brancas, tendo em toda sua volta uma circunferência branca com os dizeres Cruzeiro Esporte Clube, no mesmo azul”.

Escudo do Cruzeiro

 

Em relação as novidades, constam as versões monocromáticas positiva e negativa, emprego do escudo e estrelas e outras tonalidades em momentos especiais e oficiais de alteração da marca com uso de estrelas fechadas e estrelas soltas.

Mesmo com a saída da coroa no modelo principal do escudo, que estava sendo utilizado desde 2004 depois da conquista da Tríplice Coroa, o novo manual oportuniza não somente essa versão como a adoção de outras honrarias ligadas ao escudo, como os troféus da Taça Libertadores da América, utilizadas na camisa de 2003.

Sobre essas honrarias nas camisas, o atual Estatuto apresenta uma possibilidade: “uma estrela simbolizando cada conquista do Clube” ou uma “coroa com três torres”, sendo que “outras coroas poderão ser acrescentadas no uniforme, sempre que o futebol profissional do Clube obtiver, num mesmo ano, três conquistas de igual importância”.

Mascotes

A Raposa, mascote oficial do clube, foi criada pelo chargista e professor Fernando Pieruccetti, conhecido como Mangabeira, em 1945. Elementos como a astúcia e a agilidade do animal foram consideradas no período ligadas ao então presidente do clube celeste, Mario Grosso, famosa por sua esperteza nas negociações de jogadores.

Mascote do Cruzeiro Esporte Clube

Para simbolizar o ícone cinco estrelas, foi lançado em 2003, o Raposão. Desde então, ao lado do Raposinho e da mascote Raposona Salomé, o mascote procura incendiar a torcida nas partidas, visitas sociais e em outras atividades realizadas pelo Cruzeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *