Agora Esportes

As principais notícias do esporte

História do São Paulo

O São Paulo Futebol Clube foi fundado em 25 de janeiro de 1930 e tem sua história recheada de glórias, conquistas e superação. Isso porque o clube foi refundado em 1935 e precisou lidar com dificuldades para construir o estádio do Morumbi. Apesar de tudo, o Tricolor é o único clube nacional a ter conquistar a América e o Mundo por três vezes. É ainda o único Tricampeão consecutivo do Campeonato Brasileiro e o primeiro a conquistá-lo por seis vezes. Tri-Hexacampeão Brasileiro.

Dentro dos gramados, foi utilizando o Manto Tricolor que o goleiro Caxambu deu origem a ponte, que Roberto Dias virou o principal marcador de Pelé, que Telê Santana e Raí festejaram o triunfo em cima do Barcelona, que Muller anotou o gol Costacurta se perder totalmente, que Rogério Ceni cravou seu nome na história do futebol global como o Maior Goleiro Artilheiro.

Foi também defendendo as cores do São Paulo FC que o saltador Adhemar Ferreira da Silva alcançou o ouro olímpico e superou o recorde mundial do salto triplo em duas oportunidades, e que Éder Jofre, o Galo de Ouro dos 50 nocautes, se transformou em um nome lendário nos ringues nacionais e internacionais.

Resumo da história

Vale salientar que o São Paulo também construiu o maior estádio privado do país, o Morumbi. O clube continuou na vanguarda em investimento na infraestrutura como ponto central de sua excelência esportiva, modernizando e ampliando o seu Centro de Treinamento e o Centro de Formação de Atletas.

História do São Paulo

O resultado? O mundo conheceu três vezes. Detentor de um patrimônio significativo, conquistas históricas e em movimento constante em busca da excelência, o Tricolor segue fazendo jus ao seu hino: dentre os grandes, és o primeiro!

Hinos

O hino oficial do São Paulo foi produzido em 1936, pelo então tenente José Porphyrio da Paz quando ele e o clube que ajudou a reconstruir enfrentavam problemas. Porphyrio e a família chegaram a ser despejados de sua casa, pois o tenente investia muito do que tinha no Tricolor.

“Quase tudo que recebia ia para o clube. Quando fui avisado da perda da casa, fiquei desolado. Andava de um lado para o outro, sem saber o que fazer. Mas o amor pelo São Paulo foi maior e, ao invés de desistir, comecei a cantarolar: ‘Salve o Tricolor Paulista‘ e compus o hino do clube. Foi cantando o hino que eu e minha família deixamos nossa casa”, consta no site oficial.

Torcida São paulina

No entanto, essa canção original feita por Porphyrio só foi oficializada pelo clube em 22 de abril de 1942, e passaria por algumas alterações políticas, até ser aprovado em sua forma atual pelo Conselho Deliberativo no dia 29 de abril de 1966. Neste momento, o autor repassou ao São Paulo seus direitos sobre a música, que está registrada na Seção de Direitos Autorais da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

‘Salve o Tricolor Paulista

Amado clube brasileiro

Tu és forte, tu és grande

Dentre os grandes, és o primeiro

Coro:

Oh Tricolor

Clube bem amado

As tuas glórias

Vêm do passado

São teus guias brasileiros

Que te amam ternamente

De São Paulo tens o nome

Que ostentas dignamente

[Coro]

São Paulo, clube querido

Tu tens o nosso amor

Teu nome e tuas glórias

Têm honra e resplendor

[Coro]

Tuas cores gloriosas

Despertam amor febril

Pela terra Bandeirante:

Honra e Glória do Brasil”

Patrimônio

O São Paulo é detentor do maior estádio particular do país, o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, palco para muitos dos maiores eventos esportivos e de entretenimento da América do Sul. Além de receber os jogos do clube, o Morumbi já sediou grandes momentos paulistanos, como partidas da seleção brasileira, espetáculos, shows e tantos outros acontecimentos. O clube também se beneficia pelas dependências de altíssimo nível dos Centros de Treinamentos da Barra Funda e de Cotia, destinado às categorias de base.

Estádio Morumbi

Ídolos

Maior arqueiro artilheiro do planeta, pentacampeão mundial com a seleção em 2002, bicampeão mundial e da Libertadores, tricampeão brasileiro, capitão e líder incondicional do esquadrão tricolor, Rogério Ceni. O M1TO são-paulino deixou os gramados em 11 de dezembro de 2015. Para muitos o maior ídolo são-paulino de todos os tempos, Ceni foi capitão e levantou nesse período mais taças do que clubes em toda uma existência.

História do São Paulo

Além de Ceni, o São Paulo conta com uma lista gigantesca de ídolos, incluindo Gilmar Luiz Rinaldi, Zetti, Waldir Peres, Cicinho, Leonardo, Cafu, Nelsinho, Lugano, Ricardo Rocha, Oscar, Dario Pereyra, Roberto Dias, Bellini, Hernanes, Toninho Cerezo, Dino Sani, Mineiro, Kaká, Raí, Pita, Gérson, Zizinho, Benê, Luis Fabiano, França, Carena, Muller, Serginho Chulapa, Fried, Leônidas da Silva, entre outros.

Escudos

As cores do clube foram determinadas na fundação do clube e são imutáveis: branco, preto e vermelho. O vermelho representa aqueles vindos do CA Paulistano e, o preto, os sócios da AA das Palmeiras. O branco era comum a ambos. As cores também são as representantes do Estado de São Paulo, como dizem os estatutos do clube: “As cores do São Paulo Futebol Clube são as da bandeira paulista, vermelha, branca e preta”.

Já o coração de cinco pontas surgiu pouco tempo depois do marco inicial em janeiro de 1930. O escudo foi produzido em um concurso pelo estilista alemão Walter Ostrich (popularmente conhecido como Oliver), com a ajuda de um dos fundadores do clube, Firmiano de Morais Pinto Filho.

Cabe ressaltar que a forma é única, e era, até então, inédita. Não se conhece registros de emblema similar antes de 1930. Desde então, inúmeros clubes – alguns até mesmo mais antigos que o São Paulo FC -, passaram a utilizar figura semelhante. Oficialmente, o coração de cinco pontas tricolor é assim definido pelo Estatuto Social do clube, de 2008:

Escudo do São Paulo

“O emblema é composto por um triângulo isósceles com o lado superior maior encimado por um retângulo, com altura equivalente a metade da lateral do triângulo, fundo preto e as letras SPFC, tipo mensageiro “courier”, em branco. No interior do triângulo acima descrito, uma faixa branca central com ¼ da lateral menor, ladeado por um triângulo escaleno vermelho e outro preto, nessa ordem”.

Até a década de 1980, o acrônimo era pontuado: S.P.F.C. Desde 1984, porém, o coração de cinco pontas são-paulino estampa somente SPFC, sem pontos. Esta e outras pequenas modificações aconteceram em publicações oficiais e em uniformes, mas sem passar por mudanças oficiais.

Mascotes

Chamado ‘Santo Paulo’ para evitar qualquer confusão com o nome do clube, o velhinho de barbas brancas se eternizou como mascote do São Paulo através de cartuns publicados no jornal A Gazeta, nos anos 30 e 40. Ao longo da história, não há qualquer desenho ou traço do ‘Santo Paulo’ considerado oficial.

Mascote do São Paulo

Paulo, nascido Saulo (Saul) por volta do ano 10 d.C. em Tarso, na região da Cilícia, Turquia, é apontado como o pai do cristianismo, príncipe dos apóstolos e apóstolo dos gentios. O responsável pela propagação da mensagem de Jesus ao mundo. Mártir, fora decapitado em 64 d.C em Roma, a mando de Nero. Seu túmulo se encontra na Basílica de São Paulo Extra-Muros, na Via Ostiense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *