Agora Esportes

As principais notícias do esporte

clube não desiste e define “plano B” pelo atacante

Crédito: Alex Pantling/Getty Images

O sonho de John Textor para o ataque do Botafogo, Cavani, esfriou a expectativa da torcida por conta do alto salário do jogador que fez uma pedida astronômica para atuar no futebol brasileiro. A informação de Octávio Bocão, comentarista da Botafogo TV, movimentou a última quarta-feira (16). Durante a live no canal “Resenha Alvinegra”, o comunicador falou sobre o assunto.

“Ele não vem mais, é certo. Ele pediu R$ 50 milhões por ano. Não tem possibilidade nenhuma de nós pagarmos para um jogador de 35 anos esse valor, por mais que seja o Cavani. Ele seria o jogador mais bem pago da história do futebol brasileiro. A não ser que ele tope ganhar R$ 1,5 milhão ou R$ 2 milhões por mês no máximo, o que não vai acontecer. Isso foi dito pelo presidente Durcesio para mim na segunda-feira (14)”, explicou Bocão.

Nos bastidores, o discurso é outro e, apesar de entender que Cavani é sonho distante para o Botafogo, o clube carioca tem o interesse em tentar a contratação e fazer, pelo menos, uma proposta ao uruguaio em moldes praticáveis pelo futebol brasileiro.

Botafogo tem “plano B” para Edinson Cavani

Apesar de ver a concorrência aumentar por Cavani e, com a alta pedida, o sonho de contar com o jogador ficar mais distante, o Botafogo conta nos bastidores com um “plano B” para o atacante uruguaio: O israelense Zahavi, do PSV, da Holanda.

Com valores mais praticáveis pelo clube carioca, o jogador seria a primeira opção em caso de não acerto com o uruguaio do Manchester United. Vale ressaltar que, por Cavani, o Botafogo conta com a disputa de clubes da Espanha e dos Estados Unidos, além do Corinthians, no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *